Banco do Brasil se nega a pagar VCP em audiência no MPT

Corte das gratificações prejudicou cerca de 700 caixas do BB em todo o País Corte das gratificações prejudicou cerca de 700 caixas do BB em todo o País
quarta-feira, 13/06/2018

O Banco do Brasil se negou a pagar a VCP (Verba de Caráter Pessoal), por quatro meses, aos caixas durante a segunda audiência de mediação no Ministério Público do Trabalho, realizada na terça-feira (12/06), após denúncia da Contraf-CUT pelo descomissionamento de cerca de 700 caixas em todo o País.

O banco se manteve intransigente quanto à VCP, que assegura a remuneração ou mesmo manter a gratificação de caixa para os descomissionados.

O movimento sindical reivindicou então que o banco priorize nas concorrências os caixas que perderam a função nas concorrências internas. Como acontece quando os outros cargos perdem as vagas.

“O pedido foi no sentido de que o banco trate os funcionários e funcionárias não como números, mas de forma humanitária, pois são pessoas que tiveram perda salarial”, afirmou Fernanda Lopes de Oliveira, secretária da Juventude da Contraf-CUT e integrante da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB.

“O banco alega ter feito esforços para comissionar os funcionários prejudicados. Entretanto, até a data da audiência, apenas 65 caixas haviam sido novamente comissionados, o que não representa nem 10% do total de trabalhadores e trabalhadora atingidos”, completou.

A próxima audiência de conciliação ficou marcada para o dia 23 de julho.

Fonte: Contraf-CUT

COMPARTILHE